quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Os Narcísicos

"Portugal anda cheio de chefes narcísicos. Querem dominar tudo e todos e não mostram qualquer empatia pelos problemas dos que os rodeiam.
A principal característica destas pessoas é um sentimento grandioso da sua importância. Hipervalorizam todos os dias as suas capacidades e exageram tudo em que participam, exigindo que os outros dêem o mesmo valor ao que atribuem a si próprios. Embora o disfarcem com cuidado, desvalorizam as realizações alheias, sendo frequentes os comentários de que foram os primeiros a realizar os feitos de que — às vezes - são os únicos a ter orgulho.
Aspiram a altos voos: com a cumplicidade dos média e o trabalho das "agências de comunicação", estão preocupados com fantasias de sucesso ilimitado, poder ou brilho especiais. Ruminam com frequência acerca da "merecida" admiração e propalam que a história lhes fará justiça, quando a espuma dos dias desaparecer e o seu mérito for definitivamente reconhecido. Quando se aproximam de gente comum, esperam palmas; quando não surgem aplausos, depressa racionalizam que as suas qualidades especiais só podem ser compreendidas por gente de primeiro plano, famosos como eles um dia hão-de ser; ou então não tardam em acusar os críticos de maquinações mal intencionadas.
Estes chefes procuram sempre o elogio e não é raro utilizarem a sedução à sua volta. Necessitam de admiração constante, porque vivem preocupados com a forma como se estão a sair, desejosos de obter uma cotação favorável, testemunho da atenção de que dependem. No fundo, aguardam a reverência de todos: para a garantir ao máximo, rodeiam-se de gente submissa que, para os servir, decretou para si mesma o silêncio e o elogio fácil ao chefe: podem ser sobrecarregados com trabalho e críticas ferozes que jamais abrirão a boca contra quem manda.
Os chefes narcísicos gostam de falar de si. Adoram mostrar "cultura" através de citações de livros que só folhearam, ou de lugares-comuns tirados de mensagens da Internet: por isso, receiam confrontar-se com gente de densidade cultural, a quem tratam por "intelectuais", sujeitos teóricos que nunca realizaram nada, ao contrário dos chefes, eficazes e pragmáticos. O seu lema é: "Antes de mim, o dilúvio". Nos raros momentos em que reflectem sobre o seu percurso, podem invejar as contribuições de outros, sobretudo se estes obtiveram algum sucesso: depressa decidem que só eles são dignos de admiração e que o elogio chegará, com a pompa e a circunstância de que sempre se julgam merecedores.
Os comportamentos arrogantes e altivos destes chefes são característicos. Muitas vezes mostram desdém e atitudes de complacência, considerando que os sentimentos dos outros são sinais de fraqueza ou vulnerabilidade, por isso não se detêm no caminho que os levará à glória.
Quando não são servidos como desejam, ou quando alguém ousa uma crítica, respondem com agressividade, como se estivessem a ser atacados. Esta raiva narcísica é um dos traços mais evidentes do seu carácter: perante a discordância, reagem com fúria e podem não reparar que magoam com os seus comentários. Na sua ânsia de poder, não é raro serem capazes de usurpar recursos extra e privilégios especiais, que acreditam ser inteiramente justos e só ao alcance de quem é verdadeiramente glorioso.
Para manterem a ilusão da auto-suficiência (necessária por causa do temor de que afectos positivos conduzam à destruição do sentido de si próprios), não se relacionam profundamente com ninguém, porque assim julgam controlar tudo à sua volta e evitar a destruição psíquica da sua (afinal) frágil pessoa.
Estes chefes não são verdadeiros democratas: falta-lhes o sentido do reconhecimento do outro, a partilha e a capacidade de amar que caracteriza os verdadeiros líderes: podem mandar, mas não serão amados, apenas tolerados, mais tarde ou mais cedo cairão do pedestal que construíram para si próprios.

(Nota- esta crónica contém fragmentos da DSM-IV-R, classificação americana das doenças mentais)"

Artigo de Daniel Sampaio in revista Pública de 23-12-2007

terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Feliz Natal

sábado, 15 de dezembro de 2007


In Ensino Magazine, Dezembro 2007

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Eleições para Associação de Estudantes


Na ausência de qualquer informação no site da ESE e por parte da AE, acerca da Campanha Eleitoral para a Associação de Estudantes, deixamos aqui as ligações para os sites/vídeos das duas listas que se candidatam.


As eleições decorrem nos próximos dias 17 e 18 de Dezembro e será de extrema importância que todos os participem neste acto e assim possam decidir o rumo que a AE deverá tomar, durante o próximo ano, na defesa dos interesses e direitos dos estudantes. As ideias e propostas estão lançadas, resta que os alunos cumpram com o seu dever.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

100 POSTS !!!


100 posts, quem diria!
26 de Setembro de 2006, surge na blogosfera um blog de seu nome Estefanilho!
Este blog, composto por 6 elementos iniciais (aos quais se foram juntando muitos mais, através de comentários e emails), tinha como missão principal abanar e colorir as fundações e paredes brancas de uma escola onde as massas são, na maioria, apáticas e silenciosas!
Com o passar dos meses e dos posts, fomos descobrindo enquanto blog, que não só chateávamos muita gente como ganhámos a missão de informar e dar voz a todos os que por medo ou falta de meios não conseguiam falar mais alto.
Desde apontamentos de humor a assuntos mais sérios, aqui pelo Estefanilho sempre fizemos questão de afirmar que a nossa luta não era contra ninguém em específico, mas sim contra decisões e atitudes que se reflectiam no nosso dia a dia enquanto estudantes.


Nestes primeiros posts, um dos principais problemas levantados foi o anonimato do blog. Em relação a esse mesmo anonimato, sempre defendemos que um dia teria de ser levantado, como aconteceu com um dos nossos membros.
A identificação de um dos membros do blog implicou a ameaça por parte do Conselho Directivo de possível processo disciplinar a nível interno e um processo em tribunal! Todas estas atitudes despóticas e ditatoriais apenas nos deram mais força para continuar!
Ameaças ou tentativas de denúncias não serão recompensadas!
A faixa "Liberdade Sim, Censura Não" ao que parece tinha razão de existir! Não bastava o caso Flash IPS, em que a censura foi praticada ao melhor nível, mas ainda as bandas desenhadas que desapareciam milagrosamente, os autocolantes que a tantos chatearam, e por fim, o caso Homens da Luta, em que o CD proibiu a transmissão das imagens recolhidas na nossa escola, aniquilando assim mais uma vez uma actividade revolucionária e de protesto dos alunos!

Foram meses preenchidos de actividades, em que sentimos mais do que nunca que podíamos lutar por algo e alguém: Os Estudantes e os seus problemas!
Para este ano que decorre, queremos reforçar mais a nossa posição na defesa dos estudantes e dos seus problemas!

Não poderíamos terminar sem agradecer a todos vós que através do vosso interesse e participação valorizaram ainda mais este projecto. Foram vocês que nos motivaram a trabalhar e a continuar a publicar post atrás de post. Sabíamos de antemão que não iríamos agradar a todos, como tal continuamos a afirmar que este é um espaço aberto à liberdade de opinião e expressão. Queremos que todos se sintam motivados a colaborar e a participar. Queremos que alunos de todos os anos e cursos sintam que têm alguém a quem recorrer para dar voz aos seus problemas, não existindo da nossa parte nenhuma distinção entre cursos, caloiros ou veteranos. Estamos dispostos a divulgar e apoiar (como já vem sendo tradição) todas as actividades realizadas na escola, prestando assim "serviço público".

Vamos continuar a não fechar os olhos a atitudes e práticas que claramente ponham em causa o nível de ensino aos alunos, tal como o seu bem-estar ou condições de estudo.
Continuaremos a existir, e a lutar, não só por nós, mas também pelos outros!

A picar é que a gente se entende!
O Estefanilho


PS- a autores de blogs com o intuito de realizar um trabalho como o nosso: BEM-VINDOS! Esperemos da comunidade Eseana que o nosso trabalho seja visto como algo a acompanhar, que vos leve a colaborar ou criticar quando for caso disso! Que este exercício de cidadania crie na nossa escola pessoas melhores e mais motivadas por problemas de todos! Aos outros, aqueles que tentam destabilizar, ou por não se sentirem representados ou apenas por má vontade, dizemos apenas o seguinte: tentem, o CD já o tentou, os alunos deram-nos o seu voto de confiança e apoio, através de inúmeros comentários e participações, e nós continuamos vivos e de voz bem presente! Não entramos em guerras com Alguéns, entramos em guerra com quem cria problemas aos alunos e se esquece permanentemente deles!

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Lá como cá!

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Mundo Eseano

Parece mentira, mas a ESE resistiu às primeiras chuvas do ano. Os famosos baldes eseanos vão ter de ficar guardados mais um pouco e para os lados do CD vão-se fazendo figas para que este ano o São Pedro controle a pluviosidade … pobres agricultores! Também poderia ser mentira, mas o facto é que um dos serviços concessionados pela nossa escola não tem livro de reclamações, procedimento obrigatório de qualquer estabelecimento que presta um serviço, ainda por cima quando cobra dinheiro. Se este facto já é estranho, imagine-se a resposta quando alguém se dirige ao CD para pedir explicações. Qualquer coisa do género: “Vão tomar um café que resolvem isso!”. E se pensam que fica por aqui enganem-se caros Eseanos. Se nos voltarmos a deslocar pela manhã ao CD, por outro motivo qualquer, procurando falar com as ditas instâncias superiores a reposta é “De momento não está cá ninguém”. Estranho que em 3 elementos, nenhum esteja presente na ESE para poder atender quem se desloque ao CD e que ainda terá de ter disponibilidade para os caprichos horários daqueles que dizem gerir o nosso futuro. É esta a imagem que o CD tanto quer defender?

domingo, 18 de novembro de 2007

Autorização para "postar"!

Foi-nos informado que na sequência dos acontecimentos da Manifestação de dia 8 de Novembro, a escola estaria a pensar acrescentar a tantos outros sinais de proibição o acima colocado. Aliás, tendo em conta as últimas ocorrências, não será de admirar que sejam alterados alguns dos princípios da nossa escola, que aqui antecipamos:

- A ESE é uma entidade aberta à participação da comunidade…desde que tenham autorização;

- Favorecer a livre expressão e a pluralidade de ideias e opiniões…desde que tenham autorização;

- Garantir a liberdade de criação cultural, científica, artística e técnica…claro está, desde que tenha autorização;

-Na hora de pagar, paguem…para tal não precisam de autorização.


Para a não transmissão das imagens captadas pelo programa “Homens da Luta” (anterior Vai Tudo Abaixo) ao que parece o nosso CD alegou que tal prejudicaria a imagem da escola para o exterior. Perguntamos nós:

- Então mas quem nos gere está preocupado em resolver os nossos problemas ou com as aparências? Prontidão não faltou (tomara que alguns problemas urgentes fossem resolvidos tão rapidamente).

- Para que foram os sorrisos para as câmaras? Ao vivo nunca vimos tanta alegria.

- E não será a imagem da ESE afectada por atitudes como esta da parte do CD? Não esquecemos ainda o Flash IPS.

- Qual é a imagem a ser preservada neste momento? A de uma escola sem condições para os alunos, docentes e trabalhadores, com edifício a deteriorar-se e onde reina a lei do “quero, posso, mando…e faço e ai de quem critique”? Quanto tempo mais tentarão esconder esta triste realidade? Quantas mais bocas vão fechar e quantos mais olhos vão tapar?


Da parte da AE, entidade responsável pela manifestação vinda dos Homens da Luta, queremos acreditar que a ausência de uma tomada de posição se deva a uma reflexão mais prolongada e não à aceitação desta decisão da parte do CD, que vai contra muitos princípios fundamentais que julgávamos vigorarem na nossa escola. Se no Flash IPS (programa realizado pelos alunos de Comunicação Social) o silêncio imperou, esperamos que desta vez e tendo em conta que assumem a organização da manifestação se pronunciem e comuniquem a toda a comunidade o sucedido e a vossa posição perante tal.

Aqui pelo blog podem manifestar-se, falar…que não é necessária autorização!

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

A Voz dos Alunos

Recebemos este e-mail de uma aluna e entendemos publicá-lo já que refere uma situação que parecia resolvida relativamente aos alunos de transição e que afinal se revelou diferente do que estava à espera. Podia ser um caso pontual, mas acaba por dizer respeito a muitos alunos que se encontram na mesma situação.

Boa tarde a todos...

Meus colegas, hoje, dia 14 de Novembro fui à ESE à procura de respostas sobre a minha situação, como aluna de transição de Comunicação Social, no que diz respeito à tal propina mínima que “todos nós”, de transição deveríamos ter. Este facto foi “confirmado” pelo Pedro Jones, o presidente da AE, na RGA do dia 31 de Outubro. Nessa RGA, o presidente da AE, confirmou que todos os alunos de Comunicação Social em Regime de Transição iriam pagar a propina mínima, que ronda os 500 euros (salvo erro).Ora bem, por tal “vitória”, o presidente da AE até recebeu palmas do pouco público presente ,mas eu pergunto-me, palmas para quê? Já existe alguma confirmação dos "órgãos superiores"? Não!! Eu, por aquilo que vejo desta AE, não me contento com aquilo que dizem e sou muito suspeita em tudo o que fazem (deixando a polémica da manifestação um pouco de parte agora), e 15 dias depois continuava sem respostas concretas e decidi ir à procura delas. Para começar, ainda na semana passada recebi um e-mail da secretaria da ESE,e passo a cita-lo:" Aos alunos que frequentam os planos de transição. Informo estes alunos de que está em vias de aprovação pela Comissão Permanente do Conselho Geral do IPS uma adenda ao Despacho que fixou o valor das propinas para o presente ano lectivo, segundo a qual estes alunos irão pagar o valor da propina mínima. O valor da 1ª prestação desta propina é de 130,98 euros. Aos alunos, nestas condições, que já tenham efectuado o pagamento da propina máxima, irão ser feitos os devidos acertos. A Secretária”. Mas, quais alunos? Todos os de transição? Até aqueles que têm disciplinas em atraso? Então e os créditos? Ora, isso era uma alegria! Mas não é! Hoje, facilmente encontrei a Professora Ana Maria Pessoa, coordenadora do meu curso e membro do Conselho Pedagógico que em cinco minutos me explicou tudo aquilo que eu queria saber e, como eu já esperava, foi o contrário do que o presidente da AE disse aos alunos no dia 31 de Outubro.

Na mesma situação que eu, devem de existir outros tantos alunos que se interrogam sobre estas questões, e por isso mesmo, pedi ao Estefanilho para publicar isto com alguma “urgência”. Bem, infelizmente eu tenho uma disciplina em atraso do plano de estudos anterior, que é DDC (Direito e Deontologia da Comunicação). Até hoje estava tranquila porque, supostamente iria pagar propina mínima e iria fazer esta disciplina para o próximo semestre, “fugindo” assim ao exame que será muito complicado. Mas, e de acordo com o que a Professora Ana Pessoa me disse, a propina mínima, se, se for aprovada só será para os alunos que têm até 27 créditos anuais. Ou seja, para aqueles que não têm nenhuma disciplina em atraso. Expliquei o meu caso à Professora e ela quase me “obrigou” a inscrever-me para exame e estudar muito para ser aprovada e assim, esta disciplina em atraso, DDC, não entrasse na minha matrícula cuja UC equivalente é Ética. Desta forma, ficaria apenas com os tais 27 créditos para conseguir a propina mínima, se esta for aprovada. De seguida, fui à secretaria inscrever-me para o exame, mas…os prazos já tinham expirado. Expliquei a minha situação e foi-me confirmado o “pequeno detalhe” dos 27 créditos para a propina mínima, isto porque, no plano de estudos anterior, os alunos que reprovassem em alguma disciplina não transitavam de ano, o que não aconteceu com Bolonha, e assim, não seria justo, terem todos as mesmas regalias. Assim, por falta de credibilidade das palavras do presidente da AE, ou por puro e duro desinteresse em desenvolver este assunto da propina mínima, visto que não “lhe toca pessoalmente” e o que disse está dito e até recebeu palmas por isso, deve ter dado o assunto por resolvido, mas nada funciona assim, muito menos nesta escola. Tive que pagar 25 euros para realizar o exame que, se, tivesse sido informada correctamente ou, simplesmente não tivesse dito em plena RGA que existiria propinas mínimas para todos os alunos de transição, eu iria me informar mais a “tempo e horas” e fazia o exame sem pagar nada.

É que ninguém merece! E pagar 25 euros para um exame que podia perfeitamente ser evitado? Não meus amigos, algo está mal, muito mal! E eu apenas gastei isto para me salvaguardar e conseguir ter apenas os tais 27 créditos, caso a propina mínima seja uma realidade na ESE. Mas, não há quem aguente e já era tempo dos meninos da AE, sim, meninos, fazerem alguma coisa positiva e verídica para os alunos da associação que (supostamente) representam. Mexam-se, falem, contestem, não fiquem satisfeitos com pouco, procurem confirmações, insistam e não desistam, porque os “órgãos superiores” querem é que nós estejamos caladinhos, foi o que vocês fizeram em relação à propina mínima, já nem quiseram saber de mais nenhuns “pequenos detalhes”… Façam alguma coisa que se aproveite!

E, se tiverem respostas, comuniquem! Em tempo útil sff… Mas para mim chega! Contar com a AE para alguma coisa? Não! Paguei 25 euros desnecessários, só porque acreditei na palavra do presidente. E em 10 minutos resolvi aquilo que em 15 dias ainda está por comunicar publicamente aos alunos. Já que deram informação falsa agora podem refuta-la, ou será que os meninos da AE ainda não sabem de nada disto? É o mais provável…

Não há quem aguente…

Sofia ( Rasta )
O meu muito obrigado ao Estefanilho por publicar estas informações essenciais.

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

As Imagens da Manif

Deixamos aqui este vídeo com algumas imagens do que se passou em parte da manifestação. Hesitámos em colocar na banda sonora o Bryan Adams e a Shanya Twain mas depois de muita reflexão entendemos que estas são as que mais se adequa (o nosso agradecimento aos Homens da Luta e especialmente à Tuna por estes hinos).


Não poderíamos deixar de enaltecer a presença de todos aqueles que se predispuseram a marcar presença em nome de um principio e de uma luta que vai conhecendo agora os primeiros desenvolvimentos. Estaremos cá para os futuros capítulos!

Queríamos pedir a todos os que registaram através de fotografias ou vídeos alguns momentos da manifestação que nos enviassem para o nosso mail os referidos conteúdos (os direitos de autor serão salvaguardados) pois temos como objectivo alongar este vídeo. O mail é o de sempre: estefanilho@gmail.com

Para os mais saudosistas deixamos ligações para os vídeos da manifestação de 2004.

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

A "Manif" nos Media

Postamos aqui alguns artigos que saíram na imprensa regional e nacional acerca da manifestação realizada a semana passada na nossa escola.

in Jornal de Setúbal
in Setubalense, 02/112007

in Diário de Notícias, 08/11/2007

Resta saber se estes órgãos de comunicação foram devidamente autorizados a utilizar a imagem da ESE e dos alunos que se aparecem nas fotos. É que não existe, em alguns casos, qualquer referência à origem das fotos e nem sequer uma salvaguarda dessa mesma origem através de um D.R. (direitos reservados).

domingo, 11 de novembro de 2007

Manifestação e os Homens da Luta

Como começa a ser habitual na nossa comunidade a censura reina e para variar uma coisa feita para defender os alunos e os problemas dos mesmos foi impedido de ser passado, desta vez num orgão de comunicação social muito importante e virado para os jovens(SIC RADICAL).
Nós aqui no estefanilho gostamos muito de censura, hipocrisia e falsos moralismos por isso cá vai uma coisinha para os animar enquanto o video dos nossos camaradas de luta não aparece no youtube.

A imagem da doutora Ana Pessoa foi preservada e a mesma não aparece em nenhum sitio deste filme já que a mesma não autorizou a divulgação das imagens e com todo o direito.

Vamos lá então ver o que se passou!

Once upon a time, in a little white and democratic school...


quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Manifestação!!
















Apesar da pouca afluência por parte dos alunos da ESE a manifestação aconteceu!

A vigília da noite anterior contou apenas com 20 pessoas a dormir no relvado da escola! Esta manhã apareceu pouca gente na escola para aderir à manifestação mas com a chegada de dois aliados na luta estudantil as coisas melhoraram.

O convite feito por parte de uma aluna aos Homens da Luta resultou e fez com que muitos alunos de outras escolas se dirigissem à nossa para dar apoio, ou então aparecer na televisão!


A manifestação andou pela escola com os Homens da Luta na frente e entrou pelas salas em que estavam a haver aulas, levando a uma grande admiração por parte dos docentes, talvez porque pensassem que isto não seria permitido na ESE ou então nunca pensaram que os alunos se unissem para tal!

A entrada no Conselho Directivo foi o momento alto da manifestação, com o presidente do CD a consentir a presença da mesma na sala ficando ele entre os dois Homens da Luta!

O Estefanilho conversou com os Homens da Luta, onde lhes explicámos a situação do nosso blog e a as nossas motivações e conseguimos que eles nos apoiassem!


Temos um vídeo sobre tudo o que se passou mas decidimos só o colocar online quando o mesmo for divulgado pelos Homens da Luta, tanto na TV como na Internet, para não estragar a surpresa de quem não esteve presente!

Agradecemos assim aos Homens da Luta pela passagem pela ESE e pelo apoio que demonstraram aos nossos estudantes!

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Junta a Tua à Nossa Tenda!

NÓS VAMOS ESTAR LÁ!ps: de salientar a fraca divulgação e pouco empenho de AE numa actividade organizada por si...sem mais comentários!

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Cartão de Estudante!!

Já é bastante conhecido em Portugal que por vezes as pessoas são chamadas para fazer operações cirúrgicas depois de morrerem, chamadas para pagar dividas ao fisco depois de morrerem, para ir a tropa 20 anos depois de morrerem, chamadas para trabalhar porque estão aptas, quando estão completamente debilitadas a nível físico e psicológico. Referindo aqui o caso mais recente de uma professora sofrendo de cancro e uma funcionaria operada as costas que infelizmente está praticamente inválida. O que neste momento se está a tornar moda para o lado de ex-alunos da ESE é a chegada de cartões de estudante ACTUALIZADOS.
















Estes alunos acabaram o curso de comunicação social no ano lectivo anterior e receberam o cartão pela segunda vez apenas agora, visto só terem recebido o cartão uma vez e a meio do primeiro ano que andaram na ESE.
Neste novo cartão pode ler-se a data de validade 10 de 2010, como os alunos não receberam o cartão no segundo ano e o curso ser de cinco, resolveram compensar os mesmos atribuindo-lhes estatuto de estudante por mais três anos!! Será esta a tão falada lei das compensações?
Neste momento ainda só recebemos esta informação de dois ex-alunos, mas pelo andar da carruagem talvez esta quantidade se eleve a cerca de quarenta alunos, os mesmos que terminaram o bendito curso.


segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Tempo de Agir

Este post resulta de mais uma preciosa participação/colaboração da parte da comunidade da nossa escola. Não é demais lembrar e repetir que este é um espaço de todos vós e que é com a maior satisfação que publicamos os vossos textos, apelos ou simples desabafos. Não poderíamos continuar sem agradecer a quem nos enviou esta carta aberta, esperamos que seja a primeira de muitas e é reveladora de que o descontentamento não abrange uma minoria, outrora apelidada de extremista e até terrorista!


Bom, por tudo o que tem vindo a acontecer na nossa ESE e por tudo o que já tem sido feito pelos camaradas do estefanilho e companhia, acho que é imperativo que as coisas comecem a tomar uma forma mais séria. É necessário que estas atitudes do órgão dirigente da escola e do próprio IPS comecem a ter repressões palpáveis, que façam com que passemos a ser levados a sério e não como uma mera cambada de insatisfeitos cobardes. Porque, acreditem que é assim que nos vêem!
É, de facto, lamentável que só assim consigamos expressar a nossa opinião. Lá vai o tempo da censura, contudo, esta parece nunca ter abandonado as paredes brancas da ESE e creio que todo o recinto do IPS.
Caríssimos, é tempo de agir.
Não consigo perceber como é que num Instituto Politécnico se paga mais propinas que numa Universidade e, perdoem-me a ignorância, mas há aqui qualquer coisa trocada não? Na ESE, e restantes escolas do IPS vai ser este ano aplicada a propina máxima de 900€, dividida em quatro prestações.
Em primeiro lugar, só me apetece chorar. Em segundo lugar, tenho uma comparação que preciso mesmo divulgar e que, provavelmente, não será grande novidade. Na faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa, o valor das propinas de qualquer curso, nomeadamente da licenciatura com mestrado integrado em psicologia ronda os 774€/ano, eu disse MESTRADO INTEGRADO! Ora posto isto, vamos avaliar bem as coisas. Eu já estive nas instalações da faculdade mencionada e esta não deixa nada a desejar, mesmo nada. Para além disso, na ESE estamos a pagar 900€ por uma licenciatura, apenas. Ah sem contar com mais 900€ por meio ano. Agora pergunto-me, isto é normal? Não! Aliás, espanta-me que o Ministério da Educação, o Governo e, agora o nosso muito preocupado, Presidente da República não vejam uma coisa destas! Dá vontade de sermos ouvidos pelo menos uma vez dentro do pseudo gestor do sistema de educação nacional e logo a seguir mandar o presidente ir bater nos manifestantes da ponte, que é realmente o que ele sabe fazer melhor, isto para além de comer bolo-rei.
Eu estou francamente cansada disto tudo, cada dia é uma decepção.
Este ano vamos pagar 900€ para frequentarmos um curso, numa instituição em que existem plasmas no átrio em detrimento de professores! Por favor, não estamos numa loja de informática em que, para pagar stock se despede a mão-de-obra.
Os anos avançam e a escola apodrece. As prioridades viram outras, que não o ensino.
Por tudo isto, amigos, é premente uma atitude mais séria em relação a todas estas violações dos direitos do estudante. É só coçar p'ra dentro e não ver nada feito para que nós, razão pela qual a escola e todo o IPS foram construídos em primeira instância, possamos ter um ensino de qualidade, em que as coisas são feitas conscientemente e em que se tem em consideração que não se tratam de animais amestrados mas de pessoas que dão o litro, a sanidade mental e a carteira para terem alguma estabilidade profissional e pessoal futura.
Só me resta mesmo dizer que a Professora Ana Maria Pessoa não está doente! Não tá ché ché nem coisa que o valha. Está é a incomodar muita gente naquela escola, porque ela sim se preocupa, ela sim perde dias, noites, saúde, dinheiro e paciência a tentar fazer da escola um lugar habitável para os seus alunos. Vejo muito boa gente a queixar-se que isto está que é uma vergonha, está, de facto, uma vergonha, mas está! E se está alguma coisa é pela devoção desta e de outras pessoas, nomeadamente a Professora Marta Alves e o Professor Fernando Almeida, que apesar de terem, quem diria (!), vida própria fazem de tudo para que hajam condições, informação e acima de tudo formação para todos nós.
Sem mais delongas, caríssimos, vamos agir!

sexta-feira, 2 de novembro de 2007

Pagar e Calar?

Dia 2 de Novembro, data limite para o pagamento da primeira prestação (300 euros) da propina que este ano, como todos sabemos, foi fixada nos 900 euros. Longe vão os tempos de gritar "Não Pagamos, Não Pagamos!", é agora tempo de exigir, a quem de direito e responsável pela nossa escola e ensino, melhores condições e qualidade que justifiquem o pagamento desse valor. Se pagamos temos o direito de questionar a aplicação do dinheiro pago e, acima de tudo, manifestar o nosso descontentamento por constatar que um aumento de propinas não corresponde a uma melhoria de condições e qualidade no nosso ensino. A RGA da passada quarta feira mostrou que a insatisfação perante a actual realidade da nossa escola é unânime, cabe agora demonstrá-la através das propostas aprovadas (manifestação, recolha de assinaturas) e para tal é importante a participação e colaboração de todos, de forma a fazer valer os nossos argumentos e a nossa luta!

terça-feira, 30 de outubro de 2007

Não Faltes à RGA Parte II



Já vos deve ter chegado à mão uma destas mensagens com palavras de ordem relativos a uma manifestação (a ser ainda discutida a data e os moldes da mesma) e cabe-nos a nós não só divulgá-los como anunciar e alertar para a realização de mais uma RGA no local do costume (elucidem-nos da hora). Resta apelar a que todos estejam presentes pois se não formos nós a discutir os nossos problemas e a encontrar soluções para os mesmos, concerteza que outros não o farão.

domingo, 28 de outubro de 2007

RGA - parte I

Pois é, realizou-se esta semana mais uma Reunião Geral de Alunos (para quem não sabe o que é ...) em que muito se falou mas pouco ficou decidido... De salientar nesta RGA a presença do Professor Miguel Figueiredo (coisa que pouca vez acontece nestes eventos ... a presença de um docente ... ) conhecido pela sua ligação à informática da ESE para falar acerca da situação calamitosa em que se encontram a maioria dos computadores da nossa querida escola... Este falou em algumas propostas como por exemplo a de ir rodando os computadores em « melhores » condições pelos vários espaços da escola e deixou para rematar o seguinte lema : «se querem usar computadores na ESE o melhor mesmo é recorrerem ao crédito e comprarem um portátil...».

Outro dos pontos dominantes nesta reunião foi o assunto propinas onde o nervosismo e a ansiedade por parte dos membros da AE ficou bem patente já que pelo menos foi o que pareceu à maioria das pessoas lá presentes não existiam formas de luta propostas à partida excepto a ideia de fazer uma manifestação. Este foi um ponto particularmente quente onde algumas pessoas na plateia mostraram o seu descontentamento perante a aparente passividade dos membros da AE visivelmente desgastados e agastados com a reunião que ia se desenrolando muito anarquicamente...


A conclusão de quase três horas de reunião foi a marcação de outra RGA para definir as formas de luta que se vão fazer contra o aumento das propinas para 900 euros.
É caso para perguntarmos será que já não se devia ter estruturado e organizado melhor as formas de luta para esta RGA já que esse era o rumo que já tinha sido pensado pela AE para mostrar o seu descontentamento com a situação?
Por fim de referir a ausência de muitas pessoas que no inicio apareciam extremamente ligadas à AE e a irritação de alguns dirigentes associativos com as inúmeras questões que foram colocadas pela plateia tais como por exemplo a falta de respeito no uso do traje na ESE ou a falta de informação acerca da existência de uma RGA para aquele dia.


Saudações engasgadas

Estefanilho na garganta

É caso para dizer NÃO PERCAS A PRÓXIMA RGA QUE NÓS TAMBÉM NÃO!


quarta-feira, 24 de outubro de 2007

RGA, Não Faltes!

É já amanhã a RGA mais aguardada dos últimos tempos. A ordem de trabalhos incidirá na transição para o Processo de Bolonha na ESE (nomeadamente a respeito dos créditos) e aumento de propinas, podendo ser abordados outros assuntos. É importante a presença de todos os alunos para que em conjunto se definam estratégias de defesa dos nossos interesses e direitos. Não se aceitam desculpas para faltar. O local é o de sempre (Anfiteatro), a partir das 13h, como tal convém almoçar cedo!

Deixamos aqui alguns dados que podem ser acrescentados á discussão de amanhã e que dão conta do valor das propinas pagos nos vários Institutos Politécnicos. Estranhamente nesse quadro o valor da propina do IPS não é revelado apesar de neste momento já o sabermos.

Fonte: Canal UP

domingo, 21 de outubro de 2007

Mais um Dia da ESE

Pois é, para os mais desatentos informamos que hoje se "celebra" mais um dia da Escola Superior de Educação, uma instituição em tempos de mudança e de transição derivado ao Processo de Bolonha ...

Porém como é possível querer implementar um processo novo e dinâmico numa escola com velhos costumes e tradições muito vincadas de laxismo e de deixa andar?

« Deixa lá tar pá estamos em transição ... »

Como é que é possível na escola que frequentamos comprarem-se três plasmas e não se comprarem novos computadores tanto para alunos, professores e secretaria???

« Pá, não te chateies com isso é a transição já te disse ... »

Então e o Flash IPS?? Porque é que o Conselho Directivo tentou reprimir esse produto feito por alunos de Comunicação Social para uma disciplina do seu curso?

« Épa lá tas tu ... tamos em transição ... esquece essas coisas todas que isso é do passado ... agora somos uma escola virada para o futuro e para a tecnologia ... »

Então e os horários na Internet? a tecnologia podia começar por coisas pequenas ...

« Cala-te estas afirmações é para parecer bem ... não é realmente assim ... não queremos é perder os cargos ... desde que o pessoal pá ... continue na ESE pá ... tá tudo bem pá ... »

Então numa escola considerada aberta e democrática para quando uma discussão ou uma sessão de esclarecimento acerca do Processo de Bolonha na nossa escola e não na Europa?

« Pá ... sessões de esclarecimento ... isso também é do passado ... estamos em transição já te disse ... isto o melhor é ficarmos todos caladinhos ... dizemos umas boquinhas nos corredores ... e pronto ... é que se não te pões a pau ainda acordas numa valeta e sem uma costela ... »

Desculpe?

« Sim ... nós acreditamos na liberdade mas só quando nos interessa ... vá ... bebe lá a garrafinha de moscatel de honra ... come um salgadinho ... e não levantes ondas porque estamos em transição pá ... »

Nesta fase de transição a todos os níveis e em mais um dia da ESE é necessário realmente ver o que era necessário mudar e falar mais acerca de alguns podres que nos assolam ...
Porque como é possível existir uma transição quando as propinas estão sempre a aumentar e as condições de ensino sempre a diminuir?

Bem, tenho de acabar porque acho que levei com um taser ...

Saudações engasgadas

Estefanilho na garganta

PS: Um dos objectivos deste blog era a participação e colaboração de toda a comunidade eseana. Começámos por ser alguns poucos, hoje somos mais uns quantos dispostos a discutir os assuntos da nossa escola. Muitos já anunciaram o nosso fim, mas demonstrando o contrário apresentamos Estafanilho na garganta como novo membro do nosso/vosso blog. Novos membros e muitas mais novidades brevemente neste espaço.


segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Para quando uma RGA?

Na ausência de uma tomada de posição na nossa escola acerca de alguns problemas que vão afectando a condição de estudante, deixamos aqui o protesto e a chamada de atenção dos nossos vizinhos da AE da ESCE.

Fica também a sugestão para que se realize uma RGA onde os alunos possam discutir e apresentar estes e outros problemas que os vão afectando perante esta nova realidade académica e quem sabe até se encontrem formas de protesto e luta.

sábado, 13 de outubro de 2007

Queres ser voluntário? Vai à ESE...

Como nós aqui no estefanilho gostamos de ser solidários, vamos ajudar a nossa querida escola a realizar o nova aposta!
Agora quem se dirigir ao sítio da ESE pode lá encontrar as áreas em que estão a fazer recrutamento de pessoas para trabalhar!
Já em outros anos esta situação acontecia mas de maneira mais escondida, poucos sabiam destas actividades extra curriculares e que estas serviam para complemento de diploma!!!!

Foi-nos informado que quem fizer uma ou mais destas actividades pode ficar com um currículo bem melhor, porque ali não se trabalha só porque está frio, mas sim para que, quando um aluno sair da ESE saiba fazer qualquer coisa de útil da sua vida. Com a adaptação a Bolonha, muita gente consegue estar na ESE um ano para fazer 3 disciplinas semestrais, que são aquelas onde supostamente se iria decidir o que realmente se quer fazer, porque são estas que dão a especialização!!!!!

Complicado será alguém tirar uma especialização em alguma coisa em apenas 50 horas!

Portanto meus caros colegas, aproveitem isto porque ainda é grátis, podem aprender qualquer coisa, ou então não e vão para lá fazer aqueles serviços que mais ninguém queira fazer..


Vou picando e vou voando


BZzzzzzzzzzzzzzzzzzz

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

O Ensino Superior na ESE

Este texto foi enviado por uma aluna de comunicação social dia 13 de Julho, mas nós aqui no estefanilho decidimos publicar só agora, porque o momento de despedimentos e novas entradas chegou.
Com isto podemos ver como se fala português nas aulas, português falado por aqueles que nos ensinam.
O nome da professora não é divulgado pela aluna, logo, também o da aluna não vai ser publicado.
Então a estória é assim:
O (ESE)nsino Superior

Estas frases foram expressas por uma professora de Comunicação Social do Ensino Superior, numa aula de Novembro 2005. Através do visionamento de um filme, a aula era dedicada à introdução dos diversos tipos de plano num audiovisual:
"Nem verbalmente, nem como os nossos olhos vêm, nem por palavras. É uma história contada por imagens."
-Nem verbalmente, nem por palavras?! Ah, e também não é como os nossos olhos vêm porque é uma história contada por imagens. 'É bem...'
"Se eu tiver que dizer assim: 'era uma vez' e era um homem, um homem, não era velho." (???)
"Ele está cuidado, mas obviamente é um homem sozinho.""O que é que uma pessoa diz uma palavra quando morrer?"
"Os grandes filmes, nunca é assim tão fácil."
"Ela chamou a atenção da... e agora vou mostrar outra vez."
-Chamou a atenção da quem?
"Primeiro aparece todas estas texturas de coiso."
– "Texturas de Coiso". Este foi um dos termos técnicos introduzidos. Nesta aula, também aprendemos o associado "Plano Coiso".
"Estamos de fora e ela vai entrar no mesmo sítio... nem se percebe."
-Nem se percebe? Pois não...
"Ele arranjou uma lente curva entra a enfermeira."
"Isto se tivesse uma balança, o branco e o preto vale tanto aqui."
"O exercício que vocês fizeram era um bocado para... para ver isto!"
– Para ver o quê?!
"Eu trouxe um filme aqui antigo, mas que eu... já não se fazem filmes desse género."
-Fazia o favor de acabar as frases?
"Põe-o maior, põe-o em relevo."
"Reparem a regra dos terços."
"Relativamente tenho pena..."
-E eu tenho alergia relativamente às penas.
"Tenho um filme aqui que é uma referência, que é um autor que ainda está vivo e portanto é uma referência."
-Então eu também posso ser uma referência por estar viva e ser uma referência??? Fixe!!!
"No menu não tinha essa hipótese, portanto..."
-Tradução: "O menu do DVD não tinha essa opção."
"'tão a ver? Não tem... Ai, isto é... não acredito!"
"O sítio tem a ver com o sítio onde nós estamos a fazer um plano."
– Uau! Naquele sítio nós é que estamos a fazer o plano daquele sítio?
"Ele está num quarto de hotel, uma pensão, uma coisa, uma residência e vai tomar banho."
-Isto faz-me lembrar um dos mutantes do X-Men 3
"Faz um 'racor' entre a sala e o olho... uma coisa."
"Ele também fez o 'Kafka', que é um bom p'ra isso."
"Ia-vos pedir que podiam fazer..."
"Reparem a regra dos terços."(outra vez?!)
Diga-se de passagem que foi a última aula desta professora a que assisti. Lamento pelos meus colegas que, com muita dificuldade, tiveram uma frequência na passada Terça-Feira, a esta disciplina.E lamento imenso o facto de sermos nós as únicas vítimas da qualidade do Ensino Superior em Portugal e que não haja fiscalizações às aulas, nem uma melhor selecção de professores. E então, sem muito por onde escolher, metemos o nosso futuro nas mãos da incompetência.
Este Texto representa a negro o que a professora disse e em vermelhor os comentários da aluna!

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Ultima Hora

Entre muitos mails que chegaram à nossa redacção, que prometemos referir e publicar, recebemos este do Presidente da Associação referente a um assunto que vai preocupando muitos dos alunos da nossa escola e que pela sua importância publicamos prontamente.

"Vivas

na qualidade de Presidente da Associação de Estudantes, venho por este
meio informar todos os colegas, e o ESTEFANILHO, que marquei uma
reunião de urgência com o Prof. Armando Pires (Pres. IPS) no sentido
de esclarecer e chegar a um acordo quando as propinas para os alunos
que frequentarão menos de um ano.

Levo, claro, em consideração, os colegas que por três ou menos
créditos passam os 24 estipulados para a propina mínima.

A Associação de Estudantes não está a dormir e sabe quais são os
problemas comuns a todos os estudantes e colegas da ESE.

Peço a todos que passem este mail a todos os vossos contactos no
sentido de todos os alunos que se encontrem na situação em que farão
apenas um semestre, façam uma lista (por turma) e deixem a lista no
segurança na entrada do átrio, ao cuidado da AE.


Subscrevo-me com os melhores Cumprimentos e
Saudações Académicas
PEDRO JONES"

Agradecemos a informação e mais uma vez afirmamos a nossa disponibilidade para divulgar e colaborar nas actividades da nossa AE. Apenas alertar que esta é uma entre muitas situações que vão afectando os alunos de vários cursos.


Bolonha, Novas Condições, Novas Propinas...

Leia-se no sítio da Escola Superior de Educação de Setúbal:

1. O valor da propina fixado em todas as escolas do IPS, para o ano lectivo de 2007/2008, é de 900€.

2. A calendarização dos pagamentos é a seguinte:
2.1 - Pagamento global, no período determinado para a 1ª prestação.
2.2 - Pagamento em 4 prestações:
2.3 - A totalidade do valor da propina ou as prestações em falta deverão ser regularizadas até ao primeiro dia útil anterior à matrícula no ano seguinte.

3. Aos estudantes finalistas que se inscrevam até um máximo de 24 créditos, é aplicado o valor mínimo da propina legalmente previsto.

4. O pagamento da propina dos estudantes que tenham requerido bolsa de estudo aos SAS/IPS, só se realizará após proferida a decisão final bem como o recebimento das respectivas prestações de bolsa, não se aplicando ainda a estes estudantes o regime previsto no ponto 3.

5. Consequências do não pagamento da propina:
5.1 - Nos termos da alínea a), do art. 29º, da Lei 37/2003, de 22 de Agosto, o não pagamento da propina implica a nulidade de todos os actos curriculares praticados no ano lectivo a que o incumprimento da obrigação se reporta.
5.2 - Nos termos da alínea b) do art. 29º da Lei 37/2003, de 22 de Agosto, o não pagamento de cada uma das prestações acima referidas nos prazos fixados implica a suspensão da matrícula e da inscrição anual, com a privação do direito de acesso aos apoios sociais até à regularização dos débitos, acrescidos dos respectivos juros, no mesmo ano lectivo em que ocorreu o incumprimentos da obrigação.
5.3 - Os juros a que se refere o número anterior são contabilizados nos termos do Decreto-Lei n.º 73/99, de 16 de Março.

Já se tem ouvidos queixas de alunos que estão no ano de transição de Bolonha porque apesar de só terem 3 cadeiras continuam a pagar os mesmos €900 que os alunos que têm 10/12!!

Será justo que todos paguem o mesmo ou será que esta regra foi feita a pensar naqueles que ficam cá só a fazer uma disciplina (1 aluno por ano).

Os horários também estão a ser contestados porque a maior parte dos alunos de transição têm apenas uma cadeira no primeiro semestre!

A transição está a ser acompanhada de perto pelo estefanilho, por isso sabemos que os mesmos alunos de transição ainda nem estão matriculados nas cadeiras respectivas somente porque a escolanão tem capaciade para efectuar esta mesma matricula!

Os alunos só têm que agradecer à professora que se encontra a fazer este serviço da competência da secretaria, que também está excluida de culpas porque não há condições informáticas e logísticas!

Agora os alunos vão começar a ter aulas sem estarem matriculados, logo não há controlo, logo não se sabe quem assiste ás 45 horas de contacto tão faladas em Bolonha.


Ano novo, vida nova, propinas novas, professores novos e competentes mas os antigos problemas continuam...



terça-feira, 9 de outubro de 2007

ESE dia 1

Quem se deslocou à escola ontem e pretendia resolver e entender como seria o seu futuro ao longo deste ano lectivo de muito pouco ficou esclarecido. Pelo caminho até à escola eis o cenário que podemos encontrar. Aposto que do CD telefonaram vezes sem conta (procedimento habitual para aqueles lados) a pedir para limpar ou tirar x e y, mas do outro lado não havia ninguém para atender. Poder-se-ia dar o caso de ser uma nova decoração mas não nos quer parecer que assim o seja.

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

A ESE de sempre

Há coisas que não mudam na nossa querida escola! Venha Bolonha, venha o novo RJIES, a verdade é que começamos as aulas sempre em Outubro. Fantástico não é? Mais uns dias de férias. O que não será fantástico é a forma como a escola vai funcionando e os velhos hábitos se vão mantendo, ou seja, o que se escreve dificilmente se faz. A data apontada para o início deste ano lectivo foi o dia 24 de Setembro, isto tendo em conta as alterações curriculares impostas pela adequação ao processo de Bolonha mas ao que parece a tradição superou a inovação. Veremos ao longo do ano se outras tradições se impõem às tão anunciadas inovações bolonhesas.

Entretanto quem não parece ter sido avisado pelo nosso CD de todas estas mudanças parece ter sido a AE, no que nos quer parecer uma clara falta de respeito ( a juntar a tantas outras ) para com o órgão de representação dos alunos, já que tem vindo a preparar a recepção aos novos alunos tendo em conta a data inicialmente apontada. Ao que parece os telefones que tanto telefonam para pedir colaboração em semanas da Europa e para intimidar não funcionam para avisar destas alterações e sendo esse o caso, parece que o presidente do CD também se esqueceu do caminho para a AE, afinal não custa nada um pouco de convívio extra curricular com os que lhe pagam o ordenado.

Deixamos aqui o programa das festas da Recepção ao Caloiro 2007:

25 de Setembro
The Doups
Party on Feet
DJ Spock e DJ Abel


26 de Setembro
Tuna Sadina
Irmãos Cabanas
DJ Ariem aka Meira


27 de Setembro
Jantar do Caloiro (local a designar)
Warm-Up: Bubba
Design

As praxes essas começam já 2ª Feira (dia 24) e estendem-se até ao final da semana. Resta saber quem está disposto a praxar e a ser praxado durante as férias.

E já que falámos que a ESE não muda (isto se não incluirmos os plasmas novos e as reestruturações do pessoal docente e não docente), gostaríamos que vocês nos dissessem o que gostariam que mudasse para este novo ano lectivo…a comida do bar? Os computadores? Os professores? Os alunos? O que realmente gostavam que mudasse na ESE neste ano lectivo?


quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Ainda vira moda...



...uma vez que na nossa escola alguns assuntos não podem ser abordados e algumas pessoas vão tentando silenciar esses mesmos assuntos.

segunda-feira, 3 de setembro de 2007

ESE Bombástica

O arranque da época de recurso para a realização de exames, na ESE de Setúbal, fica marcada por uma ameaça de bomba ao inicio desta tarde. Um dia que se antevia calmo com poucas movimentações de alguns alunos e professores, habituais no periodo de exames, virou um frenesim fora do comum com os as pessoas a serem retiradas do edificio. A GNR deslocou-se ao local e ao que tudo indica não terá encontrado qualquer engenho explosivo.


Da parte do Estefanilho lamentamos ocorrências deste género, que mais não devem ser que uma brincadeira de mau gosto mas que antevê um ano lectivo 2007/08 verdadeiramente bombástico.

Mais informações, pormenores ou conteúdos acerca deste incidente podem ser adicionados á janela dos comentários ou através do nosso e-mail para publicação posterior.


segunda-feira, 27 de agosto de 2007

Fica o registo

Entre a aprovação de programas para empréstimos para estudos (já não bastava endividarem-se os que trabalham, vamos lá endividar aqueles que ainda nem sabem se vão trabalhar) e do novo RJIES, ficou a promessa do Primeiro-Ministro José Sócrates de que as propinas não vão aumentar. Do dizer ao fazer todos nós sabemos que vai uma grande distância, sobretudo quando essas palavras provêm da classe politica. Fica aqui este post em tempo de férias para que não nos esqueçamos desta “promessa”.

O ano lectivo está prestes a começar com muitas mudanças e concerteza com novos desafios e obstáculos para os estudantes. Contrariando as previsões e palpites de muitos, cá estaremos mais um ano para discutir, debater lutar e claro…”picar”!

segunda-feira, 16 de julho de 2007

Onde anda a Luta?


O Ensino Superior prepara-se para mudanças drásticas no seu funcionamento. Para além da implementação do Processo de Bolonha, está em discussão o novo regime jurídico para as instituições de Ensino Superior, centrada sobretudo na possibilidade dos estabelecimentos de ensino se tornarem fundações, secundando questões como a perda de direitos por parte dos alunos e atropelos vários ao funcionamento democrático desses mesmos estabelecimentos.

Há cerca de 2 semanas alunos de todo o país deslocaram-se a Lisboa para manifestar o seu desagrado perante a nova lei do regime jurídico. Associações Académicas de Lisboa, Coimbra, Algarve, Trás-os-montes, entre outras fizeram-se representar nesta manifestação, mas de Setúbal (que até nem fica longe de Lisboa) oficialmente não há registo de qualquer representação, o que deixa transparecer não só um alheamento da luta estudantil, como também desinteresse pelas decisões na área das politicas educativas e dos problemas que o Ensino Superior enfrenta. Sabemos que a malta já está de férias ou anda ocupada com os exames, mas não andam também os de Coimbra, do Algarve e de Trás-os-Montes?

Ora quando votamos para as Associações de Estudantes estamos à espera que os representantes destas lutem pelos nossos direitos e estejam atentos aos atropelos e ameaças a esses mesmos direitos. O que se vai passando, desde há anos, é que o real interesse na constituição de uma Associação Académica tem sempre que trazer benefícios económicos, basta constatar que as Associações de Estudantes do IPS apenas se juntam para organizar a Semana Académica, lutando entre si o resto do ano para ver quem organiza a melhor festa. Será este o único interesse dos estudantes? Não será o papel das associações alertarem e discutirem as decisões na área da política educativa de forma a poderem defender os interesses desses mesmos estudantes? Ou tudo se resume a dinheiro e basta uma faixa à entrada da escola para dizer que não concordamos? E quanto mais tempo vamos ficar calados à espera que decidam por nós? E lá porque estamos de férias, fechamos as portas, e quando começar o novo ano lectivo é que pensamos nisso?


PS: Deixamos aqui um link para o blog criado pela Associação Académica de Coimbra para discutir o novo regime jurídico das instituições de ensino superior. Basta clicar aqui.

terça-feira, 10 de julho de 2007

Uma Sugestão Picante...

Falou-se e perguntou-se em diversos comments acerca de acontecimentos recentes na nossa escola, nomeadamente para os lados do CD. Uma passagem pelo blog companheiro de luta, Estefanilha Lda, descreve as últimas "movimentações" na sala do trono. Fica a sugestão e não se inibam de comentar.

quinta-feira, 5 de julho de 2007

Exames?? Para Quando??

Alguém sabe como é o calendário de exames?
Nós aqui no Estefanilho tentamos descobrir como é o calendário de exames deste ano mas, pelo que parece está um pouco complicado...
Tantas tecnologias na ESE e nem as notas saem no MOODLE nem no site da escola. GRAVE GRAVE é o calendário de exames não estar disponível em nenhumas das plataformas online para possibilitar aos trabalhadores estudantes e aos alunos que moram longe da ESE saberem quais os dias que têm que ir à escola realizar os exames!!!

É uma vergonha esta maneira de "facilitar" o acesso dos alunos à informação que lhes interessa!

Os alunos têm que se unir e fazer barulho, revoltarem-se contra o que se está a passar porque sozinhos, os poucos alunos e professores que tentam melhorar a escola não vão conseguir!

segunda-feira, 2 de julho de 2007

O Sucesso ESEANO

Quem passa pela ESE pode, de facto, ambicionar sucesso a nível profissional. O melhor exemplo para todos nós será o cantor Toy. A nossa escola revelou-se um “trampolim” para Toy, essa figura de proa da cultura setubalense e um ilustre Eseano. E Porque dizemos isto? Ora basta ver…ou ouvir! Como se recordam em finais de 2006, o cantor Toy foi à ESE cantar o hino de campanha da Lista T, que venceu as eleições para a AE. Depois de se ver mais um ano afastado dos palcos da Semana Académica, Toy virou-se para o mundo da política pois ao que parece por lá os lobbies costumam funcionar e vai de ceder a sua voz ao hino da campanha de Carmona Rodrigues para as eleições autárquicas em Lisboa. Gostos não se discutem e o facto é que Toy se está a revelar um “expert” na área da música de campanha e faz valer bem a expressão de que os “políticos gostam de dar música ao povo”.

Se o Sr. Carmona vencer as eleições, então Toy poderá começar a ser contratado como amuleto e quem sabe ainda fazer hinos de campanha para presidentes da república.

E é com muito prazer e quase um exclusivo que vos deixamos aqui as músicas das duas campanhas.

Lista T
Get this widget | Share | Track details


Carmona Rodrigues
Get this widget | Share | Track details

quarta-feira, 27 de junho de 2007

Só para avisar...

...que caso não saibam, porque não tiveram oportunidade de ir à escola e porque o site da escola não faz qualquer referência, o prazo para a inscrição nos exames acaba amanhã. E como vem sendo hábito algumas notas ainda não foram "lançadas". Amanhã promete ser um dia concorrido lá para os lados da Secretaria.

segunda-feira, 25 de junho de 2007

À defesa das (suas) ideias!

O blog como instrumento democrático que se propõe, dá voz a tudo e a todos e assim sendo tomámos a liberdade de publicar este texto do nosso presidente do CD disponibilizado no site da ESE a partir do Setúbal na Rede. O tema escolhido é o novo “Regime Jurídico das Instituições do Ensino Superior”, não pusesse este em causa o lugar do nosso Presidente e está na hora de o defender depois de tão “gloriosas” batalhas em nome da nossa querida a ESE, afinal já tem o trono, só fica a faltar a coroa!


Caboucos para novas fundações

“Um sonho novo quer paredes novas”

(António Correia de Oliveira, Os Teus Sonetos)

Depois de serem conhecidas várias versões do documento proposto pelo Governo para debate público, foi agora divulgada (15/05/07) a versão completa e final do “Regime Jurídico das Instituições do Ensino Superior”.

A designação deste diploma, só por si, mostra a diferença entre a anterior legislação sobre esta matéria e que é agora revogada: “Autonomia das Universidades” (Lei nº 108/88) e “Estatuto e Autonomia dos Estabelecimentos de Ensino Superior Politécnico” (Lei nº 54/90). Desaparece assim uma palavra-chave, associada ao ensino superior – autonomia. De facto, e na sequência do Relatório da OCDE sobre a avaliação do ensino superior, dado a conhecer em 14/12/06, anunciava-se o propósito de actuar em conformidade, ou seja, o obstinado ministro Mariano Gago quer “pôr ordem” no sistema e restabelecer a "cadeia de comando" no pressuposto de que assim se garante a eficácia da gestão das universidades e dos politécnicos, públicos e privados. Entretanto, o imbróglio da Universidade Independente veio acentuar a necessidade da “rédea curta” para esse estranho mundo que foi crescendo à sombra do numerus clausus e da vontade massificada de obter um diploma superior. O artº 149 é elucidativo: um rol de 18 “contra-ordenações” estão aí previstas implicando pesadas coimas e sanções.

Apesar de o duro princípio da realidade não oferecer dúvidas na destrinça entre o ensino universitário e o politécnico, o actual ministro prossegue o louvável exercício semântico de procurar distinguir a “natureza binária do sistema” que a Lei de Bases de 1986 não foi capaz de clarificar. Assim, as universidades são instituições de “alto nível na criação” e, portanto, conferem o grau de doutor. Já os institutos politécnicos não merecem tal adjectivação e não vão além dos graus de licenciado e mestre; quanto aos saberes, são de “natureza profissional”, ficando-se pela “investigação orientada” (novo conceito da era Gago) cabendo apenas às universidades a sua difusão!? Os politécnicos seriam ainda caracterizados pela “inserção na comunidade territorial” e “ligação às actividades profissionais e empresariais”. Em termos de órgãos, a especificidade do politécnico configura-se na designação do Conselho Técnico-Científico (só C. Científico no universitário).

Uma valia do presente diploma é o de se aplicar ao conjunto das instituições dos vários sub-sistemas do ensino superior que se regem, a partir de agora, por normas comuns (por isso se estranha a não revogação da Lei nº 26/2000 referente à “Organização e Ordenamento do Ensino Superior”). Mas o maior mérito desta proposta prende-se com a redução do número de órgãos de governo das instituições: desaparece a Assembleia do Instituto, a Comissão Permanente do Conselho Geral, a Assembleia de Representantes, o Conselho Directivo (substituído pelo Director) e o Conselho Administrativo (dá lugar a um Conselho de Gestão). O Conselho Científico é constituído por representantes eleitos, num máximo de 25 membros, colocando-se fim à inerência, que perdurava desde o tempo de Sottomayor Cardia (1976). Por sua vez, o Conselho Pedagógico mantém a paridade de professores e alunos, mas passa a ser presidido pelo Director. Por último, ao ser criado o Conselho Coordenador do Ensino Superior (artºs 153º e 154º), tendo por “missão o aconselhamento” do Ministro da Ciência Tecnologia e Ensino Superior, com uma composição adiada para diploma próprio, espera-se que tal implique o desaparecimento dos inoperantes CRUP e CCISP.

A influência norte-americana no modelo de designação do reitor e do presidente é evidente, mas o erro de escala é enorme: o Conselho Geral nada tem a ver com o Board of trustees.

Em suma, (i) diminuem os processos eleitorais em detrimento das “nomeações”; (ii) centraliza-se o poder no reitor/presidente/director; (iii) as faculdades/escolas perdem muito da sua autonomia; (iv) reforça-se o controlo do MCTES sobre todo o sistema de ensino superior.

Porém, a questão central, a mais polémica e mediática, é a da possibilidade de transformação dos estabelecimentos de ensino superior em fundações (cap. V, artºs 119º a 123º). A fórmula, decorrente das orientações da OCDE, já foi aplicada recentemente às escolas profissionais. Não se vislumbrando vantagens significativas nessa mudança institucional, temos sérias dúvidas que as escolas públicas venham a tomar tal iniciativa. O sistema nunca se reformou por dentro.

Resta então ao ministro da tutela accionar o nº 6 do artº 119º e criar as fundações que entender para maior racionalidade da oferta educativa e diminuição do número de funcionários públicos. Assim se cumprirá o défice. A EU agradece.

Por Luís Souta (Professor Coordenador e Presidente do Conselho Directivo da ESE de Setúbal) in Setúbal Na Rede 17-05-2007 11:53

Sem Enganos!


Acrescentamos neste post o texto que complementa a foto da ESCE. Pensamos que aqui não se enganaram, apesar da referência à brancura do edifício já não condizer com a realidade actual.

O que é que a arquitectura de Siza Vieira tem, afinal, para fazer dele, nas palavras de Varela Gomes, “O único arquitecto genial que existe em Portugal”? O critico Ricardo Carvalho quis responder a isto num edifício desenhado por Siza, e levou o Ípsilon à Escola Superior de Educação de Setúbal (projecto de 1986 a 1994). “ Ele tem um domínio magistral da escala e uma variação máxima dos espaços”, diz, passando pela pequena porta que nos transporta do exterior do edifício para o “hall” interior, num movimento do grande para o grande através do pequeno. “Independentemente do tamanho do edifício a escala é sempre humana e acolhedora. Outros arquitectos não conseguem evitar o carácter de monumentalidade”.

Estamos sentados no bar, há alunos a comer, a entrar ou a sair, movendo-se no espaço branco. “ É uma arquitectura que trabalha com a redução, há a utilização de poucos materiais e o branco atribui um carácter unitário à complexidade”,, explica, perante galerias suspensas, pilares inclinados, átrios com formas inesperadas, ou a duplicação de uma clarabóia numa janela de um corredor para um átrio. “É uma arquitectura absolutamente emocionante e anti-tecnocrática”, em que existem “espaços configurados por volumes, que não têm uma função específica mas que são muito poéticos” (“Há-de haver sempre um canto para alguém ou um grupo que se queira isolar”, disse Siza numa entrevista em 1992 à revista “Escola Nova”).


In Ípsilon (suplemento do Jornal Público), 15-06-2007

terça-feira, 19 de junho de 2007

Onde está a ESE?

A malta habituou-se e agora não quer outra coisa a não ser posts do Estefanilho. Esta irregularidade na colocação de posts não se fica a dever à falta de assunto mas sim à falta de tempo, infelizmente a ocupação de bloguista não conta para as notas. Sosseguem que o nosso fim está longe e quando tiver que acontecer será com pompa e circunstância!

Na última sexta-feira (dia 15 de Junho de 2007), no suplemento Ípsilon do jornal Público, sai uma reportagem acerca da obra de Siza Vieira, onde é mencionada e elogiada a nossa escola. Tudo muito bem e bonito até aqui, não fosse a foto que ilustra supostamente a nossa escola ser a uma foto da…ESCE (como podem ver na foto).


Justificações para o sucedido:

- O sr. Fotógrafo até deu com a ESE, mas o estado de deterioração desta é tal que preferiu tirar fotos à ESCE!
- O sr. Fotógrafo até queria tirar fotos à ESE, mas foi impedido pelo nosso presidente ou vice-presidente que julgavam ser mais um Estefanilho.
- Até para tirar fotos à ESE é preciso pagar e o sr. Fotógrafo tentou remediar fotografando algo parecido.
- O sr. Fotógrafo bebeu mais do que devia e na hora de tirar a foto enganou-se. Pensamos que a ESCE foi projectada pelo atelier do sr. Siza, mas as semelhanças não são assim tantas.

O erro é certo que foi da publicação em causa, sabemos que esteve presente um jornalista, não sabemos acerca da presença de fotógrafo e a foto até pode ter sido retirada da internet mas fica assim provado que a promoção e afirmação da identidade eseana afinal não passa só por mostrar e defender cegamente os nossos símbolos, taras e manias. Mas também a ver pelo mau estado de algumas partes do edifício e espaço circundante, talvez o que nos reste seja o símbolo, não vá um dia a “casa” abaixo!

ps: em breve mais posts fresquinhos! Não desesperem!


quinta-feira, 14 de junho de 2007

Buuuhhhhhhhhhh

O País está bem entregue aos políticos que temos! De um lado Manuel Pinho (Ministro da Economia) refere que Portugal tem de ser a China da Europa, depois temos o sr. Mário Lino a apelidar a Margem Sul de deserto e para finalizar a Sra Ministra da Educação faz esta bela figura no vídeo ao vaiar os alunos que de seu pleno direito se manifestam contra as suas politicas. Para onde vai este país onde os políticos vaiam o povo?



Para finalizar, é bom que se lembrem que o Processo de Bolonha não irá implicar apenas mudanças nos currículos. A discussão tem sido centrada no aspecto curricular, esquecendo-se que esta transição implicará um aumento das propinas e dos gastos com a vossa educação. Vamos ficar quietos mais uma vez?